Atores e processos da inovação curricular no ensino da matemática

Palavras-chave: Desenvolvimento curricular, Educação matemática, Matemática escolar

Resumo

Após uma visão dos conceitos de currículo e desenvolvimento curricular e da natureza da matemática escolar, apresentam-se diversos tipos de currículo acompanhando-os com exemplos do ensino da matemática. Discute-se a importância do conhecimento do professor e o problema da internacionalização do currículo. Termina-se com três tipos de desenvolvimento curricular que ocorrem na educação matemática.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

AIRES, A. P.; SANTIAGO, A. E. Os programas de Matemática do Ensino Liceal em Portugal. In: ALMEIDA, A. J. e MATOS, J. M. (Ed.). A matemática nos programas do ensino não-superior (1835-1974). Caparica: UIED e APM, 2014. p.71-91.

ALMEIDA, M. C. Um olhar sobre o ensino da Matemática, guiado por António Augusto Lopes. 2013. Tese de doutoramento. Universidade Nova de Lisboa, Lisboa.

BENTO, M. A. A introdução da Matemática Moderna no Ciclo Preparatório do Ensino Secundário em Portugal. 2012. Tese de Mestrado. Universidade Nova de Lisboa, Caparica.

BIVAR, A. et al. Programa e metas curriculares. Matemática. Ensino Básico. Lisboa: Ministério da Educação e Ciência, 2013.

CAI, J.; HOWSON, G. Toward an International Mathematics Curriculum. In: CLEMENTS, M.;BISHOP, A., et al (Ed.). Third International Handbook of Mathematics Education. Nova Iorque: Springer, 2013. p.949-974.

CARVALHO, C. A. B. A linguagem matemática em manuais do ensino secundário e profissional. 2015. Tese de Doutoramento. Universidade Nova de Lisboa, Lisboa.

CASTRO, J. M. B. P. D. Cultura de Escola e Cultura da Aula de Matemática – Ensino Elementar. 2017. Tese de Doutoramento. Universidade Nova de Lisboa, Lisboa.

CHERVEL, A. L' histoire des disciplines scolaires. Histoire de l'éducation, v. 38, p. 59-119, 1988.

CLEMENTS, M. et al., Eds. Third International Handbook of Mathematics Education. Nova Iorque: Springer 2013.

CUBAN, L. Curriculum stability and change. In: JACKSON, P. W. (Ed.). Handbook on research on curriculum. Nova Iorque: Macmillan, 1992.

DIAS, A.; OLIVEIRA, A.; PEREIRA, C.; ABREU, M. T.; ALVES, P.; BASTO, R.; ESTEVES, P. Ensinar Matemática em Subúrbia (1989-96). Estudo de caso sobre um grupo de professores. (Tese de mestrado), Universidade Nova de Lisboa, Monte da Caparica, 1998.

European Commission. European report on the quality of school education. Sixteen quality indicators. Luxembourgo: Office for Official Publications of the European Communities, 2001.

FISCHER, M. C. Formação de professores em tempos da matemática moderna: uma proposta de investigação histórica. Revista Diálogo Educacional, v. 8, n. 25, p. 663-74, 2008.

FURINGHETTI, F.; MATOS, J. M.; MENGHINI, M. From mathematics and education, to mathematics education. In: M. CLEMENTS, A. B., C. KEITEL, J. KILPATRICK, & F. LEUNG (Ed.). Third International Handbook of Mathematics Education. New York: Springer, 2013. p.273-302.

GEERTZ, C. The interpretation of cultures. Nova Iorque: Basic Books, 1973.
GIMENO SACRISTÁN, J. O currículo: Uma reflexão sobre a prática. Porto Alegre: Artmed, 2000.

GUIMARÃES, H. M. A resolução de problemas no ensino da Matemática — Alguns passos do seu percurso no discurso curricular em Portugal. In: SANTOS, L.;CANAVARRO, A. P., et al (Ed.). Educação e Matemática: caminhos e encruzilhadas — Actas do encontro de homenagem a Paulo Abrantes. Lisboa: Associação de Professores da Matemática, 2005. p.145-166.

HOWSON, G.; KEITEL, C.; KILPATRICK, J. Curriculum development in mathematics. Cambridge, England: Cambridge University Press, 1981.

JULIA, D. A cultura escolar como objeto histórico. Revista Brasileira de História da Educação, v. 1, p. 9-44, 2001.

KELLY, A. E.; LESH, R. A., Eds. Handbook of Research Design in Mathematics and Science Education. Mahwah, NJ: Lawrence Erlbaumed. 2000.

LI, Y.; LAPPAN, G., Eds. Mathematics Curriculum in School Education. Advances in Mathematics Education. Londres: Springer, Advances in Mathematics Educationed. 2014.

MATOS, J. M. A resolução de problemas e a identidade da educação matemática em Portugal. Investigación en Educación Matemática XII, Badajoz, p. 141-158, 2008.

MATOS, J. M. Identity of mathematics educators. The Portuguese case (1981 - 1990). In: PYTLAK, M.;ROWLAND, T., et al (Ed.). Proceedings of the Seventh Congress of the European Society for Research in Mathematics Education. Rzeszów, Polónia: University of Rzeszów, 2011. p.1740-1749.

MATOS, J. M. Mathematics teaching and learning in the late 1970s in Portugal: intentions and implementations. In: BJARNADÓTTIR, K.;FURINGHETTI, F., et al (Ed.). “Dig where you stand” 2. Proceedings of the second “International Conference on the History of Mathematics Education” October 2-5, 2011, New University of Lisbon, Portugal. Lisboa: UIED, 2012. p.303-316.

MATOS, J. M. Mathematics education in Spain and Portugal. Portugal. In: KARP, A. e SCHUBRING, G. (Ed.). Handbook on the History of Mathematics Education. London: Springer, 2014. p.291-302.

MATOS, J. M. Construction and modification of the autonomy of school mathematical knowledge in Portugal. PNA-Revista de Investigación en Didáctica de la Matemática, v. 10, n. 2, p. 95-110, 2016.

MATOS, J. M. O desenvolvimento do conhecimento profissional do professor de matemática pelas Escolas Normais Superiores portuguesas (1911-1930). Cadernos de História da Educação, v. 16, n. 3, p. 666-83, 2017. ISSN ISSN: 1982-7806 (On Line).

MATOS, J. M. A Educação Matemática entre reflexão e prática. In: (Ed.). VIII Congresso Iberoamericano de Educación Matemática — Conferencias. Andújar: Federación Española de Sociedades de Profesores de Matemáticas, 2017. p.152-8. ISBN ISBN: 978-84-945722-3-4.

MATOS, J. M.; MONTEIRO, T. M. Recompondo o conhecimento didático do conteúdo durante o início da matemática moderna em Portugal (1956-69). REMATEC, Revista de Matemática, Ensino e Cultura, v. 6, n. 9, p. 7-25, Junho 2011 2011.

MATOS, J. M.; SERRAZINA, M. D. L. Metodologias de Investigação em Educação Matemática. Quadrante, Revista Teórica e de Investigação, 2016.

Ministério da Educação. Currículo nacional do ensino básico. Competências essenciais. Lisboa: Ministério da Educação, 2002.

NARCISO, S. Referencial de educação financeira para a educação pré-escolar, o ensino básico, o ensino secundário e a educação e formação de adultos. Lisboa: Ministério da Educação e Ciência, 2013.

MOON, B. The “New Maths” curriculum controversy. An international story. Londres: Falmer Press, 1986.

NOVAES, B. W. D. O Movimento da Matemática Moderna no ensino técnico industrial no Brasil e em Portugal: impactos na cultura escolar. 2012. Tese de doutoramento, PUC Paraná, Curitiba.

OLIVEIRA FILHO, F. O School Mathematics Study Group e o movimento da matemática moderna no Brasil. 2009. Tese de Mestrado (Mestrado). Universidade Bandeirante de São Paulo, São Paulo.

PACHECO, J. A. Currículo: Teoria e práxis. 2ª edição. Porto: Porto Editora, 2001.

PACHECO, J. A.; SEABRA, F. Curriculum Research in Portugal: Emergence, Research, and Europeanisation. In: PINAR, W. F. (Ed.). International Handbook of Curriculum Research: Routledge, 2013. p.397-410.

MEC/SEF. Parâmetros curriculares nacionais : matemática (1ª a 4ª Série). (1997). Brasília: MEC/SEF, 1997.

MEC/SEF. Parâmetros curriculares nacionais : matemática (5ª a 8ª Série). (1998). Brasília: MEC/SEF, 1998.

PONTE, J. P. D.; MATOS, J. M.; ABRANTES, P. Investigação em educação matemática. Implicações curriculares. Lisboa: IIE, 1998.

PONTE, J. P. Investigar, ensinar e aprender. In: (Ed.). ProfMat. Lisboa: APM, 2003. p.25-39.

SHULMAN, L. Those who understand: knowledge growth in teaching. Educational Researcher, v. 15, n. 2, p. 4-14, 1986.

SHULMAN, L. Knowledge and teaching: foundations of the new reform. Harvard Educational Review, v. 57, n. 1, p. 1-23, 1987.

TEIXEIRA, P. C. A. O Acompanhamento Local como modelo de desenvolvimento curricular em Matemática. 2004. Tese de mestrado, Universidade Nova de Lisboa, Lisboa.

TEODORO, A. N.; ESTRELA, E. Curriculum policy in Portugal (1995-2007): global agendas and regional and national reconfigurations. Journal of Curriculum Studies, v. 42, n. 5, p. 621-47, 2010.

TRAVERS, K. J.; WESTBURY, I. The IEA Study of Mathematics I: Analysis of mathematical curricula. Oxford: Pergamon Press, 1989.

VALENTE, W. R. Euclides Roxo e a história da educação matemática no Brasil. Unión, Revista Iberoamericana de Educación Matemática, v. 1, p. 89-94, 2005.

WIELEWSKI, G. D. O Movimento da Matemática Moderna e a formação de grupos de professores de matemática no Brasil. In: (Ed.). ProfMat 2008, Elvas. Lisboa: APM, 2008. p.1-10.

WOOTON, W. SMSG. The making of a curriculum. New Haven: Yale University Press, 1965.

YACKEL, E.; COBB, P. Sociomathematical Norms, Argumentation, and Autonomy in Mathematics. Journal for Research in Mathematics Education, v. 27, n. 4, p. 458-477, 1996.
Publicado
2020-12-22
Métricas
  • Visualizações do Artigo 44
  • PDF Downloads 44
Como Citar
MATOS, J. M. Atores e processos da inovação curricular no ensino da matemática. REMATEC, v. 15, n. 36, p. 60-77, 22 dez. 2020.
Seção
Artigos Científicos